Skip to main content

Home/ EducaNetUAb/ Group items tagged Educaçao

Rss Feed Group items tagged

Maria de Balsamão Mendes

O que mudou? - 16 views

  •  
    Inovação ou velhas práticas com tecnologia?
ELIA MARTINS

O Papel da Internet na Educação - Conteúdo - 74 views

      • A Comissão Europeia criou também o NetDay Europa 1997 para estimular a utilização pedagógica da Internet na escola. O Netday é dirigido às escolas dos ensinos primário e secundário e escolas profissionais. Os objectivos desta iniciativa, segundo a página oficial do projecto, são:

        • "Sensibilizar para as vantagens da utilização de redes electrónicas no ensino através da organização de actividades que poderão revestir a forma de conferências, formação de professores, demonstrações de software educativo e de utilização pedagógica da Internet, experimentação de materiais educativos, organização de concursos de prémios na Internet, intercâmbio de materiais de ensino desenvolvidos pelas escolas, etc.
        • Informar e envolver os vários parceiros - escolas, serviços de educação, empresas - em iniciativas conjuntas com vista à troca de ideias, produtos e programas, formação de professores, desenvolvimento de produtos em parceria, troca de experiências e boas-práticas através de actividades de combate à droga, racismo, violência na escola, etc. Mais especificamente, implementar entre 5 a 10 projectos baseados na utilização da Internet por cada Estado-Membro (previsto um apoio financeiro da CE para a organização das actividades), envolvendo os três níveis de parceiros, estimulando, sempre que possível, as parcerias público-privado."
  • Em Portugal, o Programa Nónio, lançado em Novembro de 1996, tem sido o representante português deste grande projecto. Este é o novo programa de Tecnologia de Informação e Comunicação criado pelo Ministro da Educação. Segundo uma comunicação do Secretário de Estado da Administração Educativa, Guilherme d’Oliveira Martins, os objectivos do programa são:

    "Apostamos no reforço dos meios informáticos, na formação contínua de professores, na produção de software educativo e no incentivo à participação em redes de comunicação. (...) O programa Nónio visa mobilizar recursos, criar condições e conceder incentivos. (...) Está em causa educar melhor numa Sociedade de Informação (...)".

    Já cerca de 400 escolas portuguesas têm endereço electrónico e foi posto à sua disposição a Rede Nónio, um servidor para as escolas poderem albergar as suas páginas em HTML.

  •  
    O Papel da Internet na Educação Neste trabalho vai ser estudado o papel da Internet na educação. Para fazer uma análise profunda e completa deste tema, não estudei apenas as vantagens deste tipo de ferramenta na educação, mas também como é que ela já está a ser aplicada, o que já mudou e o que ainda tem que mudar para tornar mais eficiente e eficaz a sua utilização e os possíveis inconvenientes dessa utilização.
  • ...1 more comment...
  •  
    Internet e Educação
  •  
    A Internet
    Páginas Educacionais na World Wide Web
    Interesse Crescente pela Internet
    Internet como auxiliar da Investigação e Desenvolvimento
    O que as pessoas estão realmente a fazer na Internet
    Cepticismo
    Internet como um meio de Ensino
    Problema da Divisão Acentuada
    Papel do Professor na Aprendizagem do aluno pela Internet
    Problema da veracidade da Informação e dos Direitos de Autor"
  •  
    Gostei muito do artigo Teresa.
MARGARIDA VAZ

Internet na educação - 41 views

  • A Internet nos ajuda, mas ela sozinha não dá conta da complexidade do aprender hoje, da troca, do estudo em grupo, da leitura, do estudo em campo com experiências reais". A tecnologia é tão-somente um "grande apoio", uma âncora, indispensável à embarcação, mas não é ela que a faz flutuar ou
  • evita o naufrágio.
  • "A Internet traz saídas e levanta problemas, como por exemplo, saber de que maneira gerenciar essa grande quantidade de informação com qualidade", insiste.
  • ...7 more annotations...
  • A questão fundamental prevalece sendo "interação humana", de forma colaborativa, entre alunos e professores. Continua a caber ao professor dois papéis: "ajudar na aprendizagem de conteúdos e ser um elo para uma compreensão maior da vida". Se o horizonte é o mesmo, os ventos mudaram de direção. É preciso ajustar as velas e olhar mais uma vez a bússola.
  • A novidade é que "hoje temos a possibilidade de os alunos participarem de ambientes virtuais de aprendizagem". O grande desafio é "motivá-los a continuar aprendendo quando não estão em sala de aula".
  • Nós esperamos que a tecnologia — teoricamente mais participativa, por permitir a interação — faça as mudanças acontecerem automaticamente. Esse é um equívoco: ela pode ser apenas a extensão de um modelo tradicional. A tecnologia sozinha não garante a comunicação de duas vias, a participação real. O importante é mudar o modelo de educação porque aí, sim, as tecnologias podem servir-nos como apoio para um maior intercâmbio, trocas pessoais, em situações presenciais ou virtuais. Para mim, a tecnologia é um grande apoio de um projeto pedagógico que foca a aprendizagem ligada à vida.
  • A questão
  • O que estamos vendo é que formas de educar com estrutura autoritária não resolvem as questões fundamentais. A questão não é tecnológica, mas comunicacional
  • O senhor afirma que as novas tecnologias exigem muito esforço dos professores e, por outro lado, defende que "o aluno já está pronto para a Internet". Em que aspectos o aluno estaria em vantagem em relação ao professor?
  • Ele é privilegiado na relação que tem com a tecnologia. Ele aprende rapidamente a navegar, sabe trabalhar em grupo e tem certa facilidade de produzir materiais audiovisuais. Por outro lado, o aluno tem dificuldade de mudar aquele papel passivo, de executor de tarefas, de devolvedor de informações. Na prática, acaba assumindo um papel bastante passivo em relação às suas reais potencialidades. O aluno tem capacidade de ir muito além, ele está pronto. Porém, a escola impõe modelos autoritários, voltando ao começo, quando o professor controlava e o aluno executava. E isso não o motiva. Por isso, a mudança mais séria deve vir mesmo dos professores. O novo professor dialoga e aprende com o aluno. Isso pressupõe uma certa humildade que nos custa como adultos a ter. Nós queremos ter a última palavra.
  •  
    a internet na educação
  • ...3 more comments...
  •  
    Internet nos ajuda, mas ela sozinha não dá conta da complexidade do aprender hoje...
  •  
    "Eu acho que não podemos mais ficar apenas nos lamuriando da falta de condições"! Uma frase de Moran que diz muita coisa...
  •  
    A internet faz parte das nossas vidas acordamos com ela e dormimos ... eu não consigo trabalhar sem a internet ligada. Foi uma coisa muito boa a internet no sector educação. A que saber utilizar...
  •  
    A Internet na educação vista por Moran.
  •  
    Perspectiva de Moran da internet na educação.
1 - 3 of 3
Showing 20 items per page